quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Superação

Fragmentos cinzentos
Constituíram momentos de luto.
A perda do amor único
Abriu lacunas,
Ruas escuras
Sem teu braços sobre minhas costas.
À margem oposta do cais estás
E aqui o caos transcendeu
Meu caminhar.
Renascer das cinzas é um fardo
Necessário,
Perecer a dor é um fato gradual,
Que passo-a-passo demarca seu espaço
Sereno, voluptuoso e sôfrego
Rumo à vida e seus descompassos
Como um todo.

.

4 comentários:

Franciscus Danton disse...

Como diz uma amiga: "Aprender a caminhar sobre as próprias pernas" mais uma vez. (este "mais uma vez" eu que coloquei. rs) ... Enfim... A gente sempre recomeça... A vida é sempre um recomeço. Cada dia é um recomeço. Uma renovação necessária. Novos lugares... Novas pessoas... É sempre importante! E a gente aprende.

(:

Victor Canti disse...

tenho notado esta superação evoluindo em seus textos, e caminhando bem...
e vc usou o termo "margem oposta", gostei...rs
beijos

Sidarta disse...

"Renascer das cincas é um fardo necessário"... Você descreveu muitíssimo bem. Dói recomeçar, mas é preciso aceitar, pois tudo na vida funciona através de ciclos. Bjo!

.Dazinha. disse...

Como eu digo " aprender a caminhar sobre as próprias pernas"[ haha].
Mas na teoria é tudo tão poético, facil e lindo não é mesmo?
Até a dor se torna algo afavel.
Na prática que é dificil renascer, tem dias que é melhor não passar de cinzas.

:)

Lindo poema.
Beijao