sábado, 11 de outubro de 2008

Arte desastrosa

Improvisar é parte do equilíbrio
Entre arte e desastre.
Estender o estandarte
Quando tarde demarca
A parte que me falta,
E não me cabe completar
O vazio deste pote arredio
Do qual pertenço.
Descompenso minha amargura,
Repletas de ternura são minhas mãos
E o brilho escorregadio
De meu coração reflete
A luminosidade de quem arde,
Mas ameniza a queimadura
Com o líquido afetuoso
Que não se toca, só se nota
A eficácia sem razão de ser,
O artista deve se atrever a fazer
Da precariedade o palco
Onde atrai o público e compartilha
Sua arte.

.

3 comentários:

Sidarta disse...

"O artista deve se atrever a fazer
Da precariedade o palco
Onde atrai o público e compartilha
Sua arte."

Mais um de seus geniais pensamentos. Parabéns!

Franciscus Danton disse...

O artista realmente deve se atrever... Deve fazer... Ele está aí pra compartilhar sua sensibilidade! Enfim... rs

(:

Victor Canti disse...

a arte é a representação da própria vida, cheia de barreiras, porém cheia de magia, onde esta transmissão ao público é evoluir junto com ele..