sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Em favor do vento

Tacanha dúvida,
Insalubre música
Cantarola agora

Que meu peito
Aflora certeiro,
Freio

Impulsos intrusos,
Tato e toque
Em desuso

Se derrama em
Meu sangue
E inflama

O ardor do corpo
Na ânsia de provar
O nobre sabor

Intruso, prisioneiro
Dos receios que
O barram em clamor

Embora devaneios os
Escapem pelo vão
Dos dedos

E invadam pensamentos
Mesmo derrubando muralhas
Em favor do vento.

Nenhum comentário: