sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Trilha

De amores sem cores
Sabores sem gosto,
Incolores as dores
Da desilusão, sem flores
Para perfumar o rosto
Inexpressivo e ferido
Com o torpor
Que movimenta os pés
Rumo ao novo
Caminho desconhecido,
A trilha do peito ferido
Em alívio de sua solidão,
Reflete a busca desmedida
De um porto para ancorar
Com segurança,
Seu amigo coração.

2 comentários:

Franciscus Danton disse...

Quem não quer um amigo coração pra ancorar? Ai ai...

(:

Pio.tatoo disse...

Belíssimo!