palavras a princípio desconexas, embora ávidas por comunicação!

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Dor na alma

A dor na alma
O tempo não aplaca.
O remédio dissolve,
E a dor não remove.
O silêncio que consome
Clama um nome que lhe traga
Redenção ao peito sufocado.
Reflexo da alma no corpo,
A medicina detecta
E o psicólogo é o tolo
Humano a auxiliar.
Desenrolar da linguagem,
Expressão interna inacessível,
Tradução de fragmentos possíveis
Deste humano dilacerado.
Ajuda que integre seus cacos
Em um quebra-cabeças,
Incerteza da certeza de libertação
Além do sintoma,
Um dia sem o coma em que se aprisionou
E um sorriso sem a dor
Que lhe tomava sem compaixão.

.

3 comentários:

Beatriz Vieira disse...

Belas palavras..
Vi seu link em Margem oposta

Saudações
http://cartasaoavesso.blogspot.com

instantes e momentos disse...

delicia voltar sempre aqui. ótimo teu blog.
Maurizio

Victor Canti disse...

a dor de não saber o caminho, de por vezes se sentir sozinho, todos passamos por momentos de dor...
qual será o verdadeiro sentido, a verdadeira liberdade, a verdadeira felicidade....?!