sábado, 2 de maio de 2009

Buraco

Cavalco o buraco
Invisível e nada encontro
Senão o escuro que me assombra

De ponta a ponta
A confusão é dominante,
Doravante há de ter solução.

Fragmentos espalhados pelo chão,
Recolhidos com cuidado para não se perderem
Ou se emaranharem na multidão

Em busca de integração
Das ruínas que a vida me trouxe
Para aprender e tirar uma lição.

Um comentário:

mateus rosa disse...

De tudo devemos tirar alguma lição... Assim é a vida! E bola pra frente!!! (:

Beijos!