segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Entrega

Será que a vida é um dom
E a ferida um tom a mais
Nesta sombra

O cais me traz de volta
A límpida paz em nome
Da face purificada

E a mão estendida
Sinaliza o fim da batalha
Desnecessária

Encerro as milhas
Por migalhas e a muralha
Desaba em terra sólida

Se constitui e dilui
O líquido moroso de que
Me utilizei para lavar o rosto

Não em vão desnudo o coração
Em prol da entrega
A uma nova paixão.

Um comentário:

mateus rosa disse...

Aguardando um email de uma certa alguem... Email que nunca chega! Ai ai viu! Ai ai!

Beijo! Beijo!