quarta-feira, 1 de setembro de 2010

O profundo

Gosto do simples, porém intenso.
O superficial não faz parte dos meus desejos,
Seja de amor, de amigos, de vida.
Sinto com a alma antes de sentir com o coração,
Gosto de ver o que os olhos não alcançam,
De colher uma flor num jardim
E sentar num lugar qualquer com uma pessoa estimada
Passear sobre as voltas da vida sem os pés saírem do lugar.
Aprecio a rotina quando ela me oferece cotidianamente
A presença do que me traz satisfação,
Gosto do novo quando ele é capaz de me fazer sonhar
Com algo que possa integrar intensamente o meu mundo.
Me desconheço no raso, mas transcendo no profundo.

Nenhum comentário: